Fuja do congestionamento

| 16/11/2009 - 01:13 AM | Comentários (0)

No ano passado, a empresária Natália Moya, de 25 anos, fez anúncios na internet e na televisão projetando aumentar em 50% as vendas pelo site de sua empresa, a revenda de equipamentos Dutra Máquinas, de São Paulo. A campanha foi tão bem-sucedida que os servidores que hospedavam a página não deram conta do aumento no número de visitantes, que chegou a dobrar em relação ao que era registrado antes. O sistema ficou lento e a página da Dutra saiu do ar em vários momentos. O problema estendeu-se por um dia inteiro até que Natália encontrasse uma solução. A Dutra Máquinas precisou transferir seu site para um servidor com mais capacidade. Mas é impossível saber se os clientes que acessaram a página no momento da crise retornaram para concluir a compra. “Subestimamos os resultados dos anúncios e nosso servidor não comportou o número de acessos fora do previsto”, diz Natália, que espera atingir neste ano faturamento de 1 milhão de reais apenas com as vendas pelo site.

Um aumento repentino em visitas pode ser o bastante para tirar um site do ar e derrubar o comércio eletrônico de uma empresa que não esteja preparada para isso. No caso da Dutra Máquinas, a página da empresa estava hospedada num servidor compartilhado com dezenas de outras empresas. Um contrato de hospedagem como esse custa a partir de 15 reais por mês, uma pequena fração do preço de manter um servidor dedicado a hospedar um único site, solução mais comum entre as grandes empresas. A exclusividade, no entanto, tem um preço — normalmente a partir de 500 reais mensais — que pode representar alocação indevida de recursos para muitas pequenas e médias empresas.

Para atender esse público, começam a crescer no mercado as opções de servidores que aumentam a capacidade de um site receber visitantes a um custo menor do que manter um servidor dedicado. Nos Estados Unidos, ganha terreno um tipo de serviço que permite que as empresas comprem mais capacidade em momentos de pico — um negócio que ainda está começando no Brasil, mas que promete ser a melhor opção para pequenas e médias empresas. “Esses planos de hospedagem funcionam como as contas de celular. Você opta por determinado plano, mas, se precisar de capacidade extra, paga o que consumir, com taxas predefinidas”, diz Daniel Domeneghetti, sócio da E-Consulting, consultoria em tecnologia, internet e telecomunicações. Um dos exemplos é o oferecido pela Locaweb, com planos a partir de 18 reais por mês. Quando o cliente precisar de mais espaço para armazenar dados, pode pagar 50 centavos por megabyte adicional.

Natália Moya, da Dutra Máquinas, optou por hospedar seu site num servidor semidedicado. Ou seja, a página da empresa vai continuar compartilhando espaço com as de outras empresas, mas o número de vizinhos é limitado a 30 sites. Uma solução como essa custa a partir de 219 reais por mês. O problema é que ainda assim cada site pode ser afetado pelos demais, e o aumento no número de visitantes em qualquer um deles ainda pode causar dificuldades de acesso. Para diminuir os riscos, existe uma opção conhecida como servidor virtual: o espaço também é compartilhado com dezenas de sites, mas cada um está isolado e seu desempenho não interfere no do vizinho. O preço pode variar a partir de 300 reais mensais — quando o proprietário do site assume a responsabilidade de atualizar as ferramentas do sistema e de adquirir antivírus, por exemplo — ou custar acima de 600 reais por mês, quando todo o serviço fica a cargo do provedor de hospedagem. Muitas vezes, sai o mesmo custo de manter um servidor dedicado.

Quais são as opções
Alguns dos serviços para sites de comércio eletrônico acessíveis a pequenas e médias empresas
Servidor compartilhado
(?) Como funciona
Centenas de sites dividem espaço em um ou mais servidores
(!) Desvantagem
Se outro site estiver congestionado, o de sua empresa pode ficar lento, mesmo com pouco movimento
($) Preço mensal
De 15 a 250 reais
(*) Principais fornecedores
UOLHost, Terra Empresas, iG Empresas, Locaweb, Tecla Internet
Servidor semidedicado
(?) Como funciona
Um mesmo servidor é dividido por vários sites, mas em quantidade bem menor que nos servidores compartilhados. Em geral, há 30 vezes mais espaço
(!) Desvantagem
O desempenho de seu site ainda estará vinculado aos demais usuários do servidor, e uma inundação de acessos a qualquer um deles pode tornar sua página lenta
($) Preço mensal
De 219 a 350 reais
(*) Principais fornecedores
UOLHost, iG Empresas, Tecla Internet
Servidor dedicado
(?) Como funciona
O site usa um servidor exclusivo
(!) Desvantagem
O preço pode ser mais do que o dobro do cobrado por servidores compartilhados. Se a movimentação for baixa, é alto o risco de arcar com custos de capacidade ociosa
($) Preço mensal
De 500 a 1 500 reais
(*) Principais fornecedores
UOLHost, Terra Empresas, IG Empresas, Locaweb, Tecla Internet
Servidor virtual dedicado
(?) Como funciona
O servidor é dividido por diversos sites, mas é possível evitar que o alto tráfego de um deles afete o desempenho dos demais
(!) Desvantagem
Se comparado ao servidor dedicado, a relação custo-benefício pode não ser vantajosa
($) Preço mensal
De 300 a 500 reais
(*) Principal fornecedor
Locaweb
Serviço para distribuição de conteúdo eletrônico
(?) Como funciona
As imagens dos sites vão para os servidores dos provedores de acesso. A velocidade de navegação aumenta, independentemente da demanda
(!) Desvantagem
A relação custo-benefício pode não compensar se a movimentação do site for baixa
($) Preço mensal
A partir de 750 reais (plano básico)
(*) Principais fornecedores
Exceda
(1) Preços médios colhidos em maio de 2008
Fontes: empresas e consultores

Para algumas empresas, no entanto, o número de visitantes não é o problema principal. O que muitas vezes atrapalha o desempenho de suas vendas pela internet é a demora que os usuários enfrentam para abrir as páginas, principalmente quando elas são carregadas de imagens. Era a dificuldade enfrentada pela fabricante de perfumes Sack’s, do Rio de Janeiro. “A demora fazia com que o cliente acessasse nosso site, mas desistisse de finalizar a compra”, diz Eduardo Castro, diretor operacional da empresa. A solução foi um serviço fornecido pela Exceda, especializada em telecomunicações, internet e TI. A partir de 750 reais mensais, as imagens do site ficam disponíveis em 28?000 servidores da Exceda, instalados nos provedores de acesso à internet. Com isso, o caminho que as imagens percorrem para chegar até a casa do internauta é mais rápido. É como se o número de pistas de uma estrada aumentasse em função da quantidade de carros. Segundo Castro, o número de clientes que abandonavam o site antes de fechar a compra caiu 30% com a mudança. “Desde agosto, quando a solução foi implantada, nossas vendas cresceram consideravelmente”, afirma.

Tags: , ,

Categoria: Tutoriais

Sobre E-Commerce News: Fundado no ano de 2009, o E-Commerce News é um site projetado para profissionais de todas as áreas, interessados nos mais recentes conteúdos sobre o e-commerce no Brasil e no mundo. Ver mais artigos deste autor.

Comente esta Matéria




Para incluir uma imagem ao lado do seu comentário, registre-se em Gravatar.