Pinterest reacende a chama do social commerce

| 05/06/2012 - 10:05 AM | Comentários (1)

Embora muitos céticos tenham decretado sumariamente o fracasso das redes sociais como geradoras de vendas em sites de comércio eletrônico, duas pesquisas divulgadas recentemente apontam para uma fênix neste mar de cinzas, cujo o nome é Pinterest. Segundo um estudo divulgado pela Shop.org, comScore e Partnering Group (Clique aqui para ler), cada usuário desta rede social segue em média 9,3 empresas de varejo, enquanto que para os utilizadores do Facebook este número é de 6,9. Enquanto isso, uma pesquisa elaborada pela Steelhouse indica que 59% dos usuários Pinterest compraram algum item on-line após visualizá-lo na plataforma, em comparação com apenas 33% dos usuários do Facebook que afirmaram o mesmo.

Facebook é o mais popular para compartilhar

No geral, 55% dos entrevistados da pesquisa da Steelhouse relataram compartilhar suas compras em sites de redes sociais. O Facebook foi o mais popular neste quesito, com 55%, seguido por Twitter (22%), Pinterest (14%), Instagram (5%) e LinkedIn (3%).

Seguidores gostam mesmo é de ofertas e descontos

Já o estudo da Shop.org mostra que obter informações sobre ofertas e cupons é o principal motivo para os compradores seguirem uma empresa e plataformas sociais, razão citada por 51% dos entrevistados, embora esta proporção tenha diminuído em relação ao ano anterior (58%). Outras justificativas comumente citadas incluem à procura por informações sobre produtos (43%) e postar ou ler comentários sobre mercadorias ou serviços (36%).

O estudo também mostra que os usuários de aparelhos portáteis estão dispostos a compartilhar sua localização com os varejistas, sendo os homens mais propensos que as mulheres a revelar este tipo de informação (40% vs 25%). Consumidores mais jovens – com idades entre 18 a 34 anos – também são os mais receptivos a este tipo de compartilhamento, quando comparado aos compradores da faixa etária de 35-54 anos (46% vs 22%).

Além disso, usuários de smartphones que realizam compras on-line também utilizam seu dispositivo para tirar fotos de produtos (37%) e enviar imagens de mercadorias para os amigos (34%).

Outros resultados:

70% dos consumidores que seguem varejistas através de blogs afirmam clicar em links que apontam para a loja virtual, enquanto 68% preferem utilizar o YouTube para obter informações sobre uma determinada marca.

Segundo a pesquisa Steelhouse, as principais razões para um comprador instalar aplicativos de varejistas em seu smartphone são para procurar itens (32%), descontos e promoções (26%) e realizar compras (22%). No entanto, ao fazer compras on-line, dois terços dos consumidores preferem sites ao invés de aplicações.

98% dos entrevistados relatam ler comentários na web sobre produtos antes de fazer uma compra, enquanto dois terços também escrevem reviews.

As categorias de produtos que mais recebem avaliações de consumidores são eletrônicos (23%) e DVDs, CDs e MP3s (14%).

Metade dos e-consumidores afirmam comprar somente produtos classificados com 3 ou mais estrelas em uma escala de 5 estrelas.

Tags: , , , ,

Categoria: Pesquisas

Sobre E-Commerce News: Fundado no ano de 2009, o E-Commerce News é um site projetado para profissionais de todas as áreas, interessados nos mais recentes conteúdos sobre o e-commerce no Brasil e no mundo. Ver mais artigos deste autor.

  • Todos Fornecedores
  • Plataformas
    • Gestão de Anúncios
    • Atendimento ao Cliente
    • E-Mail Marketing
    • Sistema de ERP
    • Pagamento Online
    • Plataforma de E-Commerce
    • Precificação Dinâmica
  • Serviços
    • Escola Espelicializada
    • Agência Especializada
 
Moovin
EZ Commerce
Jet
Rakuten
Bling
Accesstage
e-completo
Vtex
Mailbiz
Viewit
Digital UP
Softvar
LojaMestre
Braspag
Superpay
E-Goi
Neoassist
Tray
DLojavirtual
Dotstore
Ciashop
Seri.e
Akna
Web Jump
GhFly
E-Millennium
Bis2Bis
Bluefoot
ChannelAdvisor
F1soluções
Wiser
MasterPass
CustomerGauge
Tools E-commerce
Enviou
Sanders
BizCommerce
Internet Innovation
Signashop
Xtech Commerce
ComSchool
Thumb
Brasil na Web
Nação Digital
COMM2
 

Comentário (1)

Trackback URL | Comentários RSS Feed

  1. Sandro disse:

    Penso que é exatamente isso. Se não forem feitas ações de marketing, aliada as técnicas de otimização do produto ; a simples existência da plataforma não sustenta a necessidade de atrair e realizar a conversão.

    http://www.designbrasil.art.br/

Comente esta Matéria




Para incluir uma imagem ao lado do seu comentário, registre-se em Gravatar.