Varejo tradicional cada vez mais digital

As novas tecnologias para mapear as preferências do consumidor começam a recuperar o varejo tradicional como o principal centro de compras após o rápido crescimento do comércio eletrônico. Algumas redes já utilizam plataforma que combina diversas inovações (data mining ou mineração de dados, big data analytics, cloud computing e omnichannel) para rastrear, por exemplo, o cliente dentro da loja, por meio do Wi-Fi do celular.

Conseguem mapear por onde o cliente passou, quais produtos se interessou, e as “áreas quentes” da loja. Assim, podem cruzar com outras informações de e-commerce e encaminhar ofertas para os produtos vistos e não comprados, entre outras novidades para fomentar vendas.Combinadas com outras ferramentas de business analytics e data science, o gestor de lojas consegue saber em tempo real quais produtos vendem mais em quais lojas, regiões, cidades e estados. Podem, assim, planejar ainda quais produtos premium ou populares devem ser oferecidos por região e lojas. Com isto, podem melhorar o relacionamento com os clientes e, assim, valorizar a loja física como o principal centro de vendas do varejo.

Para tanto, precisam acumular o máximo de informações precisas e detalhadas para enfrentar um antigo desafio, descobrir quem está dentro da loja mediante completo mapeamento de seu cliente, para incrementar vendas e futuras ações de marketing. Daí a importância de rastrear o cliente pelo sinal do Wi-Fi do smartphone desde o momento de sua entrada na loja, para descobrir suas preferências, percurso pelas diversas áreas, tempo gasto por produtos, até sua passagem pelo caixa com a emissão do relatório de compras e identificação pelo CPF.

Num primeiro momento o varejista sabe que o proprietário do celular está dentro da loja pelo Wi-Fi. Se não passar o CPF não cruza os dados. Mas sabe pelo celular quais produtos foram mais pesquisados e assim conhece melhor os clientes mesmo sem identificação pelo nome.

Rakuten EXPO Inside
Ciclo Agência Digital – Inside
Smarthint
olist

O sistema é extremamente simples. Um pequeno aparelho semelhante aos modens de banda larga, com tecnología de Internet das Coisa (IoT),captura os sinais emitidos pelo wi-fi dos celulares ligados a uma rede e consegue, após cadastro do mapa da loja, monitorar todas as movimentações do cliente  pelo sistema de geolocalização.

Portanto, bastante acessível aos pequenos, médios e grandes redes.A ferramenta chega para os varejistas conhecerem melhor seus clientes dentro da loja, conseguem não só melhorar sua relação com eles, como também coloca novamente no centro de sua estratégia o ambiente físico, com a valorização do seu espaço após retomar a importancia que tinham antes da forte expansão do comercio eletrônico.

O rastreamento dentro da loja é mais um exemplo de como o varejo físico adota práticas tradicionais do varejo virtual. O que podemos esperar a partir de agora são plataformas que utilizam tecnologias para analisar estes dados obtidos sobre a movimentação dentro das lojas, mais a combinação com informações do PDV e até de dados de navegação de aplicativos mobile, para cruzar informações e entender o que o cliente está buscando. No caso onde ele comprou, a tecnologia permite o oferecimento de novos produtos, aumentar o cross selling; no caso onde não houve a compra, formata e envia promoções com os produtos que foram vistos ou que despertaram maior interesse, a fim de maximizar a conversão de vendas. E estes dados ficam todos armazenados em um grande big data, permitindo novas ações comerciais no futuro.

Outra finalidade da nova tendência é a conversão via recaptura de usuários. No mundo físico, temos os vendedores sempre por perto e a opção de mandar uma promoção personalizada ou mesmo uma mensagem para um cliente que não comprou. No mundo virtual isso é mais difícil de fazer, pois usuários entram e saem dos sites em ritmo acelerado e são muitos os que deixam o carrinho de compras sem efetivar a transação.

Neste sentido, têm surgido diversas ferramentas que monitoram este tipo de situação e tratam a recuperação de vendas online depois da primeira desistência. Quase 70% das consultas de produtos no comércio eletrônico são feitas por clientes realmente interessados em comprar, mas desistem por não estarem satisfeitos por diversos motivos, preço, frete, prazos, condições de financiamento etc. Tecnologias inovadoras de rastreamento combinadas com analytics podem recuperar parte de vendas perdidas com novas ofertas aos interessados, aumentando significativamente a taxa de conversão do e-commerce.

Fernando Gambôa é Diretor Senior do gA.
  • Todos Fornecedores
  • Armazenamento
  • Consultoria
  • Entrega
  • Marketplace
  • Performance
  • Plataformas
    • Gestão de Anúncios
    • Atendimento ao Cliente
    • E-Mail Marketing
    • Sistema de ERP
    • Pagamento Online
    • Mídias Sociais
    • Plataforma de E-Commerce
    • Precificação Dinâmica
    • Vitrine Personalizada
  • Serviços
    • Escola Especializada
    • Logística
    • Agência Especializada
    • Redirecionamento de Encomendas
  • Soluções
 
Moovin
EZ Commerce
Rakuten
Bling
Accesstage
Mailbiz
LojaMestre
E-Goi
Neoassist
DLojavirtual
Dotstore
Ciashop
Seri.e Design
GhFly
E-Millennium
Bis2Bis
Bluefoot
F1soluções
Xtech Commerce
ComSchool
Brasil na Web
Nação Digital
Trezo
E-Commerce Logística
World Pay
Socialrocket
E-completo
Precode
IHouse Web
Smarthint
JET e-business
Ciclo
 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.