Mais de 60% das empresas brasileiras compartilham informação sigilosa em algum grupo de WhatsApp

A quem nunca aconteceu de perder um evento importante por não estar no grupo no qual o difundiram? Lembretes de reuniões importantes, fotos de ativos e inclusive informação sigilosa se divulga de maneira comum e regular dentro dos grupos internos das empresas brasileiras.

Segundo uma enquete online realizada por oMelhorTrato.com junto a 900 trabalhadores de todo o país, 62% deles reconhece que já compartilhou fotos internas ou dados sigilosos em grupos formados para facilitar a comunicação, reconhecendo que esta informação se chegasse nas mãos da concorrência poderia afetar diretamente a competitividade da empresa.

42% dos entrevistados assegura que usa o WhatsApp para dar avisos para sua equipe ou para seu supervisor sobre o andamento de alguma tarefa, enquanto que 56% assegura que costuma compartilhar fotos de reparos e consertos ou ainda produtos da empresa por meio da aplicação.

Apenas 12% dos entrevistados alegaram que usam a aplicação para fazer chamadas de vídeo corporativas.

Performa.AI

De acordo com o ponto de vista legal, em 2015 começou-se a falar que as conversas realizadas por meio da aplicação podem ser equiparadas a emails corporativos. Inclusive em alguns casos pontuais foram utilizadas como provas contra o empregador em condenações da justiça do trabalho. Da mesma forma, se um empregado filtra informação sigilosa que lhe chega por via do WhatsApp, isto pode ser considerado como uma violação à cláusula de confidencialidade do contrato de trabalho.

Nesse sentido, o advogado trabalhista Bruno Gallucci, do escritório Guimarães & Gallucci, afirma que “hoje, o WhatsApp já é, sem dúvida, uma ferramenta de trabalho. Isso significa que pode ajudar. Mas se não utilizada com cautela, pode prejudicar ao empregador e ao empregado”, e comenta que, além da crescente demanda de ações judiciais por conta de horas extras, existem pedidos de reversão de justa causa como conseqüência da demissão do empregado por motivo de mal uso da aplicação.

Por sua parte, o WhatsApp vem dando-se conta dessa situação, tanto que lançou o WhatsAppBusiness. Esta aplicação que à primeira vista parece igual à tradicional, facilita em uma empresa a comunicação interna, bem como com seus clientes. Porém, apesar de que este gigante da tecnologia tenha agregado opções para automatizar mensagens, algumas estatísticas e dados empresariais no perfil, nada se menciona sobre o que compartilhar ou não, assim como quais seriam as formas para difusão de informação sigilosa de maneira segura.

Teremos que esperar que algum concorrente proponha uma melhor solução. Por enquanto a regra básica que os especialistas na área recomendam é separar as conversas privadas das corporativas. E não esquecer nunca que tudo o que você dizer por via do WhatsApp pode ser usado contra você.

Avatar
Fundado no ano de 2009, o E-Commerce News é um site projetado para profissionais de todas as áreas, interessados nos mais recentes conteúdos sobre o e-commerce no Brasil e no mundo.
  • Todos Fornecedores
  • Armazenamento
  • Consultoria
  • Entrega
  • Marketplace
  • Performance
  • Plataformas
    • Gestão de Anúncios
    • Atendimento ao Cliente
    • E-Mail Marketing
    • Sistema de ERP
    • Pagamento Online
    • Mídias Sociais
    • Plataforma de E-Commerce
    • Precificação Dinâmica
    • Vitrine Personalizada
  • Serviços
    • Escola Especializada
    • Logística
    • Agência Especializada
    • Redirecionamento de Encomendas
  • Soluções
 
Moovin
EZ Commerce
Rakuten
Bling
Accesstage
Mailbiz
LojaMestre
Neoassist
DLojavirtual
Dotstore
Seri.e Design
GhFly
E-Millennium
Bis2Bis
Bluefoot
F1 Commerce
Xtech Commerce
ComSchool
Brasil na Web
Nação Digital
E-Commerce Logística
Socialrocket
Precode
Smarthint
JET e-business
 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.