Nova regra de ICMS estimula a regionalização do e-commerce

legislacao-do-ecommerce

Após um ótimo final de ano para o e-commerce nacional e perspectivas de um crescimento ainda maior em 2016, os lojistas se deparam agora com um grande obstáculo que é a implementação da nova regra sobre o recolhimento de ICMS para os e-commerces, válida desde o dia 1º de janeiro e que tem gerado muitas dúvidas para o setor.

Em teoria, a nova regra é simples: gradativamente, a diferença entre a alíquota interna e a interestadual será partilhada entre os Estados de origem e destino dos produtos ou serviço. Em 2016, será de 40% para o Estado de destino e 60% para o de origem, diferenças que irão diminuindo até que em 2019 todo o imposto permanecerá no Estado de destino do que for comercializado. Não há previsão de multa até o meio do ano, mas até julho todos os impostos retroativos precisam ser pagos.

Na prática, a coisa é bem complicada, com essa mudança a maior parte dos empreendedores têm dúvidas sobre como vão ficar suas precificações em cada região do país. Ainda não sabemos dados do segundo semestre de 2015, mas, de acordo com números divulgados pela e-Bit, somente nos primeiros seis meses do ano passado, foram 49,4 milhões de pedidos, com um ticket médio de R$376,55 e faturamento total acima dos 18,6 bilhões. Estamos falando de altos valores e de um problema que, operacionalmente, é extremamente complicado e complexo.

Inside Banner Mandaê

Essa mudança vem justamente em um ano em que foi registrada uma queda no volume de atraso na entrega, ficando pouco acima dos 8%. Acredito que essa nova forma de tributação do ICMS, fará com que alguns empreendedores procurem crescer suas operações digitais dentro dos seus próprios estados, fugindo desse inevitável tempo de adaptações e adiando, principalmente, possíveis complicações burocráticas.

Esse movimento, inevitavelmente, dará início para uma regionalização do e-commerce, com e-commerces nascendo com maior foco em seus estados e crescendo suas operações em uma determinada região com o intuito de evitar dores de cabeça. Isso tudo irá na contramão do que o comércio eletrônico prega, que é diminuir distâncias, e colocando lado a lado quem tem o que vender de quem deseja comprar, integrando canais de vendas e logísticas de entrega.

Contudo, acredito também que venceremos essa barreira e faremos de 2016 um ano forte para o mercado digital brasileiro, já que o e-commerce cada vez mais se torna um grande canal para superar momentos de crise. Será sim uma fase de adaptação e aprendizado, porém os investimentos e perspectivas para o crescimento devem continuar o movimento de crescimento.

Alfredo Soares

Alfredo Soares é CEO e fundador da plataforma de lojas virtuais Xtech Commerce. Com mais de 40 mil lojas criadas a plataforma transaciona R$ 250 milhões por ano. Soares também palestrante e sócio investidor na startup Socialrocket.

  • Todos Fornecedores
  • Armazenamento
  • Consultoria
  • Entrega
  • Marketplace
  • Performance
  • Plataformas
    • Gestão de Anúncios
    • Atendimento ao Cliente
    • E-Mail Marketing
    • Sistema de ERP
    • Pagamento Online
    • Mídias Sociais
    • Plataforma de E-Commerce
    • Precificação Dinâmica
  • Serviços
    • Escola Especializada
    • Logística
    • Agência Especializada
    • Redirecionamento de Encomendas
  • Soluções
 
Moovin
EZ Commerce
Rakuten
Bling
Accesstage
Mailbiz
LojaMestre
E-Goi
Neoassist
DLojavirtual
Dotstore
Ciashop
Seri.e Design
GhFly
E-Millennium
Bis2Bis
Bluefoot
F1soluções
Xtech Commerce
ComSchool
Brasil na Web
Nação Digital
Trezo
E-Commerce Logística
Softvar
World Pay
Socialrocket
Mandaê
E-completo
Precode
Adena
Eccosys
Loja Integrada
Arroba
Alfa ERP
IHouse Web
 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here